Logo do Site - Banco de Questões
Continua após a publicidade..

Depois de 1930, o panorama novelístico do país mudou; revelou-se aos neonaturalistas brasileiros um ambiente desconhecido. E dez anos mais tarde os “introspectivos” (como Octavio de Faria e Dionélio Machado) começarão a denunciar uma mentalidade desconhecida. Antes de Jorge Amado escrever os três romances do cacau, José Lins do Rego, mestre de todos os outros, já criara os cinco romances do açúcar, que continuarão, acredito, como o maior monumento novelístico da época. Adaptado de: CARPEAUX, Otto Maria. Ensaios reunidos.

CARPEAUX, Otto Maria. Ensaios reunidos. Rio de Janeiro: Topbooks, 1999.

A introdução do cultivo da cana-de-açúcar no Brasil, pelos portugueses,

Continua após a publicidade..

Resposta:

A alternativa correta é a letra c.

A cana-de-açúcar foi introduzida no Brasil pelos portugueses no século XVI, como parte do projeto colonial mercantilista. Os portugueses já tinham experiência com o cultivo da cana em outras regiões, como as ilhas atlânticas e a Ásia, e viram no Brasil uma oportunidade de expandir a produção e o lucro com esse produto. A cana se adaptou bem ao clima e ao solo litorâneo brasileiro, especialmente na região Nordeste, onde se desenvolveu o chamado ciclo do açúcar.

As outras alternativas são incorretas por:

  • a) Os donatários não foram os responsáveis pela introdução da cana-de-açúcar no Brasil, mas sim os colonos que receberam sesmarias (lotes de terra) para cultivá-la. O solo de massapé, rico em matéria orgânica, era favorável à cana, mas não foi o único fator que influenciou na escolha desse produto. A concorrência holandesa foi um problema para os produtores de açúcar brasileiros no século XVII, mas não no início da colonização.
  • b) A introdução da cana-de-açúcar no Brasil não foi concomitante à introdução dessa cultura na Ilha da Madeira e nas feitorias portuguesas na África, mas sim posterior. A Ilha da Madeira foi o primeiro local onde os portugueses plantaram cana, ainda no século XV, e as feitorias africanas foram estabelecidas no século XVI, antes da colonização do Brasil. O tráfico negreiro foi importante para fornecer mão de obra escrava para as plantações de cana, mas não foi o motivo da introdução dessa cultura no Brasil.
  • d) As experiências feitas pelos jesuítas ao cultivarem diversos tipos de alimento não foram determinantes para a introdução da cana-de-açúcar no Brasil, mas sim para a subsistência dos colonos e dos indígenas aldeados. A cana-de-açúcar não era um produto de origem asiática, mas sim originária da Nova Guiné. O mercado europeu já conhecia o açúcar desde a Idade Média, mas era um produto caro e restrito às elites.
  • e) A introdução da cana-de-açúcar no Brasil não aconteceu após o contato dos portugueses com os índios, nem foi influenciada pela observação de sua múltipla utilização pelos nativos. A cana-de-açúcar não era uma planta nativa do Brasil, e os índios não a utilizavam na construção de suas ocas nem como alimento. Os índios foram explorados pelos colonos como mão de obra nas plantações de cana, mas muitos resistiram e fugiram.
Continua após a publicidade..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continua após a publicidade..