Logo do Site - Banco de Questões
Continua após a publicidade..

(UFSCar) – A queda na produção de cereais, às vésperas da Revolução Francesa de 1789, desencadeou uma crise econômica e social, que se manifestou

Qual foi a consequência da queda na produção de cereais na França antes da Revolução?

Continua após a publicidade..

Resposta:

A alternativa correta é a letra A.

A queda na produção de cereais na França antes da Revolução foi causada por fatores climáticos, como secas e geadas, que afetaram as colheitas e reduziram a oferta de alimentos. Isso provocou uma crise econômica e social, que se manifestou na alta dos preços dos gêneros alimentícios, na redução do mercado consumidor de manufaturados e no aumento do desemprego. Essa situação agravou a miséria e a fome do povo, especialmente do terceiro estado, que era formado pelos camponeses, artesãos, comerciantes e profissionais liberais. O terceiro estado era o mais numeroso e o mais explorado pela nobreza e pelo clero, que detinham privilégios políticos e econômicos. A crise econômica e social foi um dos fatores que levaram o terceiro estado a se rebelar contra o absolutismo monárquico e a iniciar a Revolução Francesa de 1789.

As outras alternativas são incorretas porque:

  • A alternativa B é incorreta porque a queda na produção de cereais na França não teve relação direta com o aumento da exploração francesa sobre o seu império colonial, nem com o início do movimento de independência. A exploração colonial francesa já existia antes da Revolução e se intensificou durante o governo de Napoleão Bonaparte, que tentou reconquistar as colônias perdidas na América e na Ásia. O movimento de independência das colônias francesas foi influenciado pelos ideais da Revolução, mas também por outros fatores, como a Revolução Americana de 1776 e a resistência dos povos nativos.
  • A alternativa C é incorreta porque a queda na produção de cereais na França não provocou o abrandamento da exploração senhorial sobre os servos, nem a divisão das terras dos nobres emigrados, nem a suspensão dos direitos constitucionais. Pelo contrário, a exploração senhorial sobre os servos se manteve ou se intensificou, pois os nobres tentavam compensar as perdas econômicas com o aumento dos impostos e das obrigações feudais. A divisão das terras dos nobres emigrados só ocorreu depois da Revolução, quando o governo revolucionário confiscou e leiloou os bens dos nobres que fugiram do país. A suspensão dos direitos constitucionais também foi uma medida posterior à Revolução, tomada pelo Comitê de Salvação Pública durante a fase do Terror, que reprimiu os opositores da Revolução.
  • A alternativa D é incorreta porque a queda na produção de cereais na França não levou à decretação, pelo rei absolutista, da lei do preço máximo dos cereais, nem à expansão territorial francesa, nem às guerras entre países europeus. Pelo contrário, o rei absolutista, Luís XVI, se recusou a tomar medidas para aliviar a crise econômica e social, e tentou impor novos impostos ao terceiro estado, o que gerou revolta e insatisfação popular. A lei do preço máximo dos cereais foi uma medida adotada pelo governo revolucionário em 1793, para tentar controlar a inflação e garantir o abastecimento de alimentos. A expansão territorial francesa e as guerras entre países europeus foram consequências da Revolução, que difundiu os ideais de liberdade, igualdade e fraternidade pelo continente, mas também enfrentou a resistência das monarquias absolutistas que tentaram restaurar a ordem antiga.
  • A alternativa E é incorreta porque a queda na produção de cereais na França não resultou na intensificação do comércio exterior francês, nem no aumento da exportação de tecidos para a Inglaterra, nem na compra de vinhos ingleses. Pelo contrário, a crise econômica e social reduziu o mercado consumidor de manufaturados, tanto interno quanto externo, e prejudicou o comércio francês. Além disso, a França e a Inglaterra eram rivais comerciais e políticos, e não tinham um intercâmbio de tecidos e vinhos. A França era um grande produtor de vinhos e não precisava importá-los da Inglaterra, que era um grande produtor de tecidos e não precisava exportá-los para a França.
Continua após a publicidade..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continua após a publicidade..