Logo do Site - Banco de Questões

Questões Sobre Ditadura Militar - História - 3º ano do ensino médio

1) A ditadura militar no Brasil foi acompanhada por um período de crescimento econômico acelerado, conhecido como milagre econômico, que ocorreu entre 1968 e 1973, durante os governos de Costa e Silva e Médici. Nesse período, o Produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu em média 10% ao ano, impulsionado pelo aumento da produção industrial, das exportações, dos investimentos estrangeiros e do endividamento externo. O governo militar adotou uma política econômica desenvolvimentista, baseada no tripé: arrocho salarial, incentivo ao consumo e controle da inflação.

PRADO, Maria Ligia. O Brasil no contexto: 1964-1984. In: DELGADO, Lucília de Almeida Neves; FERREIRA, Jorge (orgs.). O Brasil Republicano: o tempo da ditadura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

Quais foram os principais problemas sociais gerados pelo milagre econômico?

  • A) Aumento da desigualdade social, da concentração de renda, da pobreza e da violência urbana
  • B) Aumento da desigualdade social, da distribuição de renda, da pobreza e da violência urbana
  • C) Diminuição da desigualdade social, da concentração de renda, da pobreza e da violência urbana
  • D) Diminuição da desigualdade social, da distribuição de renda, da pobreza e da violência urbana
  • E) Nenhuma das alternativas anteriores
FAZER COMENTÁRIO

A alternativa correta é a letra a.

O milagre econômico gerou graves problemas sociais, como o aumento da desigualdade social, da concentração de renda, da pobreza e da violência urbana. O crescimento econômico não foi acompanhado de uma melhoria nas condições de vida da maioria da população, que teve seus salários reprimidos e seus direitos trabalhistas reduzidos. Além disso, o processo de industrialização e urbanização acelerado provocou o inchaço das grandes cidades, a precarização dos serviços públicos, a falta de moradia, o desemprego e a marginalização de amplos setores sociais.

Continua após a publicidade..

2) A ditadura militar no Brasil foi responsável por uma série de violações dos direitos humanos, como prisões arbitrárias, torturas, desaparecimentos e assassinatos de opositores políticos. Esses crimes foram cometidos por agentes do Estado, que agiam com base na Doutrina de Segurança Nacional e na ideia de combate ao comunismo. Muitas dessas violações permaneceram impunes, pois os militares se beneficiaram da Lei de Anistia, de 1979, que perdoava os crimes políticos cometidos durante o regime.

TELES, Janaína; TELES, Edson. Desarquivando a ditadura: memória e justiça no Brasil. São Paulo: Hucitec, 2009.

Quais foram as principais iniciativas para resgatar a memória e a verdade sobre os crimes da ditadura militar no Brasil?

  • A) A criação da Comissão Nacional da Verdade, em 2012, que investigou e documentou as violações dos direitos humanos ocorridas entre 1946 e 1988
  • B) A criação da Comissão Nacional da Verdade, em 2012, que investigou e documentou as violações dos direitos humanos ocorridas entre 1961 e 1985
  • C) A criação da Comissão Nacional da Verdade, em 2012, que investigou e documentou as violações dos direitos humanos ocorridas entre 1964 e 1988
  • D) A criação da Comissão Nacional da Verdade, em 2012, que investigou e documentou as violações dos direitos humanos ocorridas entre 1964 e 1985
  • E) A criação da Comissão Nacional da Verdade, em 2012, que investigou e documentou as violações dos direitos humanos ocorridas entre 1968 e 1985
FAZER COMENTÁRIO

A alternativa correta é a letra d.

A Comissão Nacional da Verdade foi criada em 2012, pelo governo de Dilma Rousseff, com o objetivo de investigar e documentar as violações dos direitos humanos ocorridas entre 1964 e 1985, período que corresponde à ditadura militar no Brasil. A Comissão foi composta por sete membros, indicados pela Presidência da República, e contou com o apoio de diversas instituições, como universidades, organizações não governamentais, movimentos sociais, entre outras. A Comissão realizou audiências públicas, coletou depoimentos, analisou documentos, visitou locais de repressão, entre outras atividades. Em 2014, a Comissão entregou seu relatório final, que continha o resultado das investigações, as recomendações para a reparação das vítimas e a prevenção de novas violações, e a identificação dos responsáveis pelos crimes.

3) O milagre econômico foi o nome dado ao período de crescimento econômico acelerado que o Brasil viveu entre 1968 e 1973, durante o regime militar. Nesse período, o Produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu em média 10% ao ano, impulsionado pelo aumento da produção industrial, das exportações, dos investimentos estrangeiros e do endividamento externo. O governo militar adotou uma política econômica desenvolvimentista, baseada no tripé: arrocho salarial, incentivo ao consumo e controle da inflação.

PRADO, Maria Ligia. O Brasil no contexto: 1964-1984. In: DELGADO, Lucília de Almeida Neves; FERREIRA, Jorge (orgs.). O Brasil Republicano: o tempo da ditadura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

Quais foram os principais problemas sociais gerados pelo milagre econômico?

  • A) Aumento da desigualdade social, da concentração de renda, da pobreza e da violência urbana
  • B) Aumento da desigualdade social, da distribuição de renda, da pobreza e da violência urbana
  • C) Diminuição da desigualdade social, da concentração de renda, da pobreza e da violência urbana
  • D) Diminuição da desigualdade social, da distribuição de renda, da pobreza e da violência urbana
  • E) Nenhuma das alternativas anteriores
FAZER COMENTÁRIO

A alternativa correta é a letra a.

O milagre econômico gerou graves problemas sociais, como o aumento da desigualdade social, da concentração de renda, da pobreza e da violência urbana. O crescimento econômico não foi acompanhado de uma melhoria nas condições de vida da maioria da população, que teve seus salários reprimidos e seus direitos trabalhistas reduzidos. Além disso, o processo de industrialização e urbanização acelerado provocou o inchaço das grandes cidades, a precarização dos serviços públicos, a falta de moradia, o desemprego e a marginalização de amplos setores sociais.

Continua após a publicidade..

4) A censura foi um dos instrumentos utilizados pelo regime militar para controlar e reprimir as manifestações culturais, artísticas, jornalísticas e políticas contrárias ao governo. A censura consistia na fiscalização, proibição ou alteração de obras, espetáculos, programas, notícias e opiniões que fossem considerados subversivos, imorais ou ofensivos à moral e aos bons costumes. A censura foi instituída pelo Ato Institucional nº 2, em 1965, e intensificada pelo Ato Institucional nº 5, em 1968.

RIDENTI, Marcelo. Em busca do povo brasileiro: artistas da revolução, do CPC à era da TV. Rio de Janeiro: Record, 2000.

Quais foram as principais formas de resistência e de contestação à censura por parte dos artistas e intelectuais brasileiros?

  • A) A utilização de metáforas, alegorias, ironias e duplos sentidos nas obras; a criação de movimentos culturais alternativos; o exílio voluntário ou forçado
  • B) A utilização de metáforas, alegorias, ironias e duplos sentidos nas obras; a adesão aos movimentos culturais oficiais; o exílio voluntário ou forçado
  • C) A renúncia à utilização de metáforas, alegorias, ironias e duplos sentidos nas obras; a criação de movimentos culturais alternativos; o exílio voluntário ou forçado
  • D) A renúncia à utilização de metáforas, alegorias, ironias e duplos sentidos nas obras; a adesão aos movimentos culturais oficiais; o exílio voluntário ou forçado
  • E) Nenhuma das alternativas anteriores
FAZER COMENTÁRIO

A alternativa correta é a letra a.

Os artistas e intelectuais brasileiros resistiram e contestaram a censura de diversas formas, entre elas:

  • A utilização de metáforas, alegorias, ironias e duplos sentidos nas obras, para driblar a vigilância dos censores e transmitir mensagens críticas ao regime. Exemplos disso são as canções de Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Geraldo Vandré, entre outros; as peças de teatro de Oduvaldo Vianna Filho, Augusto Boal, Plínio Marcos, entre outros; os filmes do Cinema Novo, de Glauber Rocha, Nelson Pereira dos Santos, Ruy Guerra, entre outros; os livros de Carlos Heitor Cony, Rubem Fonseca, Clarice Lispector, entre outros.
  • A criação de movimentos culturais alternativos, que buscavam expressar a diversidade e a criatividade da cultura brasileira, valorizando as raízes populares, regionais e afro-brasileiras. Exemplos disso são o Tropicalismo, a Tropicália, o Teatro de Arena, o Teatro Oficina, o Cinema Marginal, a Poesia Marginal, entre outros.
  • O exílio voluntário ou forçado, que consistia em sair do país para escapar da perseguição e da violência do regime, e também para buscar novas formas de expressão e de contato com outras culturas. Muitos artistas e intelectuais brasileiros se exilaram em países como França, Inglaterra, Estados Unidos, México, Chile, Argentina, Portugal, entre outros.

As demais alternativas são incorretas, pois a adesão aos movimentos culturais oficiais e a renúncia à utilização de metáforas, alegorias, ironias e duplos sentidos nas obras não foram formas de resistência e de contestação à censura, mas de conformismo e de submissão ao regime.

5) A ditadura militar no Brasil foi marcada por diversos atos de resistência e oposição ao regime, tanto de grupos armados quanto de movimentos pacíficos. Entre esses movimentos, destacam-se as Diretas Já, que consistiam em manifestações populares que exigiam a volta das eleições diretas para presidente da República. As Diretas Já ocorreram entre 1983 e 1984, no contexto da abertura política iniciada pelo presidente João Figueiredo.

ROLLEMBERG, Denise; QUADRAT, Samantha. A construção social dos regimes autoritários: Brasil e América Latina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

Qual foi o resultado das Diretas Já para o processo de redemocratização do Brasil?

  • A) As Diretas Já conseguiram aprovar a emenda Dante de Oliveira, que restabelecia as eleições diretas para presidente, e elegeram Tancredo Neves como o primeiro presidente civil após a ditadura
  • B) As Diretas Já não conseguiram aprovar a emenda Dante de Oliveira, que restabelecia as eleições diretas para presidente, mas fortaleceram a oposição ao regime e elegeram indiretamente Tancredo Neves como o primeiro presidente civil após a ditadura
  • C) As Diretas Já não conseguiram aprovar a emenda Dante de Oliveira, que restabelecia as eleições diretas para presidente, nem eleger Tancredo Neves como o primeiro presidente civil após a ditadura, mas contribuíram para a elaboração de uma nova Constituição em 1988
  • D) As Diretas Já conseguiram aprovar a emenda Dante de Oliveira, que restabelecia as eleições diretas para presidente, mas não elegeram Tancredo Neves como o primeiro presidente civil após a ditadura, pois ele faleceu antes de tomar posse
  • E) As Diretas Já não tiveram nenhum resultado concreto para o processo de redemocratização do Brasil, pois foram reprimidas violentamente pelo regime e impedidas de se manifestar nas ruas
FAZER COMENTÁRIO

A alternativa correta é a letra b.

As Diretas Já não conseguiram aprovar a emenda Dante de Oliveira, que restabelecia as eleições diretas para presidente, pois ela foi rejeitada pelo Congresso Nacional em 25 de abril de 1984, por falta de quórum. No entanto, as Diretas Já fortaleceram a oposição ao regime e elegeram indiretamente Tancredo Neves como o primeiro presidente civil após a ditadura, em 15 de janeiro de 1985, pelo Colégio Eleitoral. Tancredo Neves derrotou o candidato governista Paulo Maluf, apoiado pelo PDS, partido sucessor da ARENA. Tancredo Neves não chegou a tomar posse, pois faleceu em 21 de abril de 1985, sendo substituído por seu vice, José Sarney.

Continua após a publicidade..

6) A ditadura militar no Brasil foi caracterizada por um período de forte repressão política e violação dos direitos humanos. Muitas pessoas foram perseguidas, presas, torturadas, exiladas ou mortas pelos órgãos de segurança do regime, como o DOI-CODI, o DOPS e o SNI. Esses órgãos atuavam com base na Doutrina de Segurança Nacional, que considerava como inimigos internos todos aqueles que fossem contrários aos interesses do governo.

REIS FILHO, Daniel Aarão; RIDENTI, Marcelo; MOTTA, Rodrigo Patto Sá. O golpe e a ditadura militar: 40 anos depois (1964-2004). Bauru: EDUSC, 2004.

Quais foram as principais formas de resistência e de luta contra a ditadura militar no Brasil?

  • A) A luta armada, a guerrilha rural, a guerrilha urbana e a luta sindical
  • B) A luta armada, a guerrilha rural, a guerrilha urbana e a luta estudantil
  • C) A luta armada, a guerrilha rural, a guerrilha urbana e a luta eclesiástica
  • D) A luta armada, a guerrilha rural, a guerrilha urbana e a luta feminista
  • E) A luta armada, a guerrilha rural, a guerrilha urbana e a luta dos movimentos sociais
FAZER COMENTÁRIO

A alternativa correta é a letra e.

As principais formas de resistência e de luta contra a ditadura militar no Brasil foram:

  • A luta armada, que consistia na utilização de armas e de violência para combater o regime, por meio de organizações clandestinas como a ALN, o MR-8, a VAR-Palmares, entre outras.
  • A guerrilha rural, que consistia na formação de grupos armados no campo, que pretendiam criar focos de resistência e de mobilização popular, como a Guerrilha do Araguaia, liderada pelo PCdoB.
  • A guerrilha urbana, que consistia na realização de ações armadas nas cidades, como assaltos, sequestros, atentados, sabotagens, entre outras, como forma de desestabilizar o regime e obter recursos para a luta.
  • A luta dos movimentos sociais, que consistia na organização e na mobilização de diversos setores da sociedade civil, como os trabalhadores, os estudantes, os intelectuais, os artistas, os religiosos, os indígenas, os negros, as mulheres, entre outros, que reivindicavam seus direitos, denunciavam as arbitrariedades do regime e defendiam a democracia.

As demais alternativas são incorretas, pois a luta sindical, a luta estudantil, a luta eclesiástica e a luta feminista são exemplos de movimentos sociais, e não formas distintas de resistência e de luta contra a ditadura.

7) A ditadura militar no Brasil teve início em 1964, com o golpe que depôs o presidente João Goulart. O regime militar durou até 1985, quando Tancredo Neves foi eleito indiretamente pelo Colégio Eleitoral. Durante esse período, o Brasil viveu momentos de repressão política, censura, violação dos direitos humanos, crescimento econômico e crise da dívida externa.

FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: Edusp, 2013.

Qual das alternativas abaixo apresenta corretamente o nome dos cinco presidentes militares que governaram o Brasil entre 1964 e 1985?

  • A) Castelo Branco, Costa e Silva, Médici, Geisel e Figueiredo
  • B) Castelo Branco, Médici, Geisel, Figueiredo e Sarney
  • C) Costa e Silva, Médici, Geisel, Figueiredo e Tancredo Neves
  • D) Castelo Branco, Costa e Silva, Médici, Geisel e Tancredo Neves
  • E) Costa e Silva, Médici, Geisel, Figueiredo e Sarney
FAZER COMENTÁRIO

A alternativa correta é a letra a.

Os cinco presidentes militares que governaram o Brasil entre 1964 e 1985 foram:

  • Humberto de Alencar Castelo Branco (1964-1967)
  • Artur da Costa e Silva (1967-1969)
  • Emílio Garrastazu Médici (1969-1974)
  • Ernesto Geisel (1974-1979)
  • João Baptista de Oliveira Figueiredo (1979-1985)

Os demais nomes citados nas alternativas não foram presidentes militares, mas civis. José Sarney assumiu a presidência em 1985, após a morte de Tancredo Neves, que havia sido eleito indiretamente pelo Colégio Eleitoral. Tancredo Neves, por sua vez, foi o primeiro presidente civil eleito após a ditadura, mas não chegou a tomar posse.

Continua após a publicidade..

8) O Ato Institucional nº 5 (AI-5) foi o mais duro e repressivo dos atos institucionais promulgados pelo regime militar no Brasil. Ele foi editado em 13 de dezembro de 1968, pelo presidente Costa e Silva, e conferiu ao Executivo poderes ilimitados para cassar mandatos, suspender direitos políticos, fechar o Congresso Nacional, intervir nos estados e municípios, censurar os meios de comunicação e reprimir os movimentos de oposição.

GASPARI, Elio. A ditadura escancarada. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

Quais foram as principais consequências do AI-5 para a sociedade brasileira?

  • A) Aumento da participação popular na política, fortalecimento dos partidos de oposição e ampliação da liberdade de expressão
  • B) Diminuição da participação popular na política, enfraquecimento dos partidos de oposição e restrição da liberdade de expressão
  • C) Aumento da participação popular na política, enfraquecimento dos partidos de oposição e restrição da liberdade de expressão
  • D) Diminuição da participação popular na política, fortalecimento dos partidos de oposição e ampliação da liberdade de expressão
  • E) Nenhuma das alternativas anteriores
FAZER COMENTÁRIO

A alternativa correta é a letra b.

O AI-5 teve como principais consequências a diminuição da participação popular na política, o enfraquecimento dos partidos de oposição e a restrição da liberdade de expressão. Com o AI-5, o regime militar se tornou mais autoritário e violento, sufocando qualquer forma de contestação ou resistência. Muitos políticos, intelectuais, artistas, estudantes e trabalhadores foram perseguidos, presos, torturados, exilados ou mortos pelos órgãos de repressão. A sociedade brasileira viveu um clima de medo e silêncio, que só começou a ser rompido na década de 1970, com o surgimento de novos movimentos sociais e a abertura política gradual.