Logo do Site - Banco de Questões

Questões Sobre Primeira República Brasileira - História - 3º ano do ensino médio

Continua após a publicidade..

1) (Enem 2014) A Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, que começa a ser construída apenas em 1905, foi criada, ao contrário das outras grandes ferrovias paulistas, para ser uma ferrovia de penetração, buscando novas áreas para a agricultura e povoamento. Até 1890, o café era quem ditava o traçado das ferrovias, que eram vistas apenas como auxiliadoras da produção cafeeira.

CARVALHO, D. F. Café, ferrovias e crescimento populacional: o florescimento da região noroeste paulista. Disponível em: www.historica.arquivoestado.sp.gov.br. Acesso em: 2 ago. 2012.

Essa nova orientação dada à expansão ferroviária, durante a Primeira República, tinha como objetivo a:

  • A) articulação de polos produtores para exportação.
  • B) criação de infraestrutura para atividade industrial.
  • C) integração de pequenas propriedades policultoras.
  • D) valorização das regiões de baixa densidade demográfica
  • E) promoção de fluxos migratórios do campo para a cidade
FAZER COMENTÁRIO

A Estrada de Ferro Noroeste do Brasil (NOB) foi uma ferrovia que ligava Bauru (SP) à Corumbá (MS), na fronteira com a Bolívia. Ela foi construída com o objetivo de integrar as regiões do interior do país, que eram pouco povoadas e exploradas economicamente.

A alternativa correta é a D) valorização das regiões de baixa densidade demográfica. A NOB foi planejada para estimular o desenvolvimento de novas áreas para a agricultura e a pecuária, além de facilitar o transporte de produtos como o café e a erva-mate. Ela também contribuiu para o crescimento populacional e urbano das cidades por onde passava.

As outras alternativas são incorretas porque:

  • A) articulação de polos produtores para exportação: esse era o objetivo das ferrovias paulistas que serviam ao café, mas não da NOB, que buscava novos mercados internos.
  • B) criação de infraestrutura para atividade industrial: esse era um efeito indireto da NOB, mas não o seu propósito principal, que era o de promover a ocupação territorial.
  • C) integração de pequenas propriedades policultoras: esse era um modelo agrícola que predominava no Nordeste, mas não no Centro-Oeste, onde a NOB atuava. Lá, prevaleciam as grandes fazendas de gado e de monocultura.
  • E) promoção de fluxos migratórios do campo para a cidade: esse era um fenômeno que ocorria em todo o país, mas não tinha relação direta com a NOB, que visava a colonização do interior.
Continua após a publicidade..

2) Qual desses acontecimentos se passou durante a Primeira República:

  • A) Abolição da escravatura
  • B) Revolução Constitucionalista de 1932
  • C) Surgimento do queremismo
  • D) Semana de Arte Moderna
  • E) Atuação do tropicalismo
FAZER COMENTÁRIO

A alternativa correta é a D) Semana de Arte Moderna.

Esse foi um evento cultural que aconteceu em São Paulo, em 1922, e marcou o início do movimento modernista no Brasil. Os artistas participantes buscavam romper com os padrões tradicionais e expressar as transformações sociais e culturais do país.

As outras alternativas são incorretas porque:

  • A) Abolição da escravatura: esse foi um processo que culminou com a Lei Áurea, em 1888, ainda no período imperial.
  • B) Revolução Constitucionalista de 1932: essa foi uma revolta armada que aconteceu em São Paulo contra o governo provisório de Getúlio Vargas, já na Segunda República.
  • C) Surgimento do queremismo: esse foi um movimento político que surgiu em 1945, no final do Estado Novo, e defendia a permanência de Getúlio Vargas no poder.
  • E) Atuação do tropicalismo: esse foi um movimento musical que surgiu em 1967, durante o regime militar, e misturava elementos da cultura brasileira com influências estrangeiras.

3) A política do café com leite consistia:

  • A) em uma parceria entre as oligarquias de São Paulo e Minas Gerais para promover o revezamento da escolha do presidente.
  • B) em uma política de valorização do café.
  • C) em um decreto racista que visava ao controle social da população mais pobre do país.
  • D) em uma lei para convocação compulsória de jovens para o Exército.
  • E) em uma política para promover melhorias na alimentação da população brasileira.
FAZER COMENTÁRIO

A alternativa correta é a letra A.

A política do café com leite foi um acordo político entre as elites de São Paulo e Minas Gerais durante a República Velha (1889-1930). O acordo consistia em alternar a presidência da República entre um político paulista e um mineiro, representando os interesses dos maiores produtores de café e leite do país.

Continua após a publicidade..

4) A Segunda Revolta da Armada procurou conquistar o Rio de Janeiro, então capital do Brasil. Incapazes de alcançar esse objetivo, os revoltosos da Marinha partiram para o Sul do país a fim de se juntarem aos federalistas, que participavam da:

  • A) Guerra de Canudos
  • B) Guerra do Contestado
  • C) Guerra dos Farrapos
  • D) Revolução Federalista
  • E) Coluna Prestes
FAZER COMENTÁRIO

A resposta correta é a letra D, Revolução Federalista. Essa foi uma guerra civil que aconteceu no Sul do Brasil entre 1893 e 1895, envolvendo os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Os federalistas eram os opositores do governo de Floriano Peixoto, que reprimia violentamente os dissidentes políticos.

Os revoltosos da Marinha, que também eram contrários a Floriano Peixoto, tentaram tomar o Rio de Janeiro em 1893, mas foram derrotados pelas forças governistas. Então, eles decidiram se aliar aos federalistas no Sul e continuar a luta contra o governo central. No entanto, eles também foram vencidos em 1894 e alguns deles conseguiram asilo em Portugal.

5) (ESPM) Após várias décadas, a chamada República Velha mostrava sinais de desgaste, o que levou a um cenário de instabilidade política, social e econômica. Para tratar de um quadro sensível, o último presidente brasileiro da República Velha lançou a Lei Aníbal de Toledo, também conhecida como Lei Celerada.

Assinale a alternativa correta sobre a mencionada lei:

  • A) foi estabelecida no governo de Artur Bernardes e permitiu uma intervenção nos estados que não o apoiaram nas eleições.
  • B) foi estabelecida no governo de Artur Bernardes e autorizava a deportação de anarquistas.
  • C) foi estabelecida no governo de Washington Luís e criou a Caixa de Estabilização para sanear a moeda nacional.
  • D) foi estabelecida na presidência de Washington Luís e significou uma intervenção econômica, com a aquisição dos excedentes cafeeiros pelo governo federal, para enfrentar a crise do setor.
  • E) foi estabelecida na presidência de Washington Luís para combater os chamados delitos ideológicos, colocou o Partido Comunista na ilegalidade e censurou a imprensa.
FAZER COMENTÁRIO

A alternativa correta sobre a Lei Aníbal de Toledo, ou Lei Celerada, é a letra E). Essa lei foi estabelecida pelo presidente Washington Luís em 1927, com o objetivo de reprimir os movimentos políticos e sociais que contestavam o regime oligárquico da República Velha. A lei proibia as manifestações de ideias consideradas subversivas, como o comunismo, o anarquismo e o tenentismo, e censurava a imprensa que as divulgasse. A lei também permitia o fechamento de sindicatos, clubes e partidos que representassem uma ameaça à ordem pública.

As outras alternativas estão incorretas, pois:

  • A letra A) se refere à Lei de Intervenção nos Estados, de 1922, que autorizava o presidente Artur Bernardes a intervir nos estados que não o apoiaram nas eleições.
  • A letra B) se refere ao decreto nº 528, de 1890, que autorizava a deportação de estrangeiros indesejáveis, especialmente os anarquistas.
  • A letra C) se refere à Lei da Caixa de Estabilização, de 1926, que criou um órgão para controlar a emissão e a circulação da moeda nacional.
  • A letra D) se refere ao Convênio de Taubaté, de 1906, que estabeleceu uma política de valorização do café, com a compra dos excedentes pelo governo federal.
Continua após a publicidade..

6) (UniFil) O termo vacina tem origem do latim e significa “de vaca”, uma referência à forma como a vacina foi criada. Apesar de existir uma parcela da população Brasileira a favor da antivacinação, inúmeras ações e campanhas aconteceram em nosso país, em uma das tentativas de vacinação obrigatória contra a varíola, houve revolta da população, em um movimento que ficou conhecido como Revolta da Vacina. Em qual estado brasileiro ocorreu esse fato?

  • A) Rio de Janeiro
  • B) Espírito Santo
  • C) Pará
  • D) Rio Grande do Sul
  • E) São Paulo
FAZER COMENTÁRIO

A resposta correta para a questão é a letra A) Rio de Janeiro

A Revolta da Vacina foi um levante popular que aconteceu em 1904, contra a vacinação obrigatória contra a varíola, imposta pelo médico Oswaldo Cruz. Essa revolta ocorreu no contexto de mudanças urbanas e sanitárias na cidade do Rio de Janeiro, que causaram insatisfação e resistência da população. Os protestos duraram seis dias e resultaram em mortes, prisões e destruição de bens públicos.

7) (Fuvest) Na Primeira República, o processo de industrialização no Brasil sofreu sensível impulso com:

  • A) a extinção em 1906 da política de valorização do café, definida pelo Convênio de Taubaté.
  • B) a adoção da política protecionista, que impedia o estabelecimento de empresas estrangeiras no país.
  • C) o desencadear da Primeira Guerra Mundial, que acentuou as dificuldades para a importação de produtos.
  • D) a organização da “Comissão Verificadora”, que controlava a entrada de manufaturas no Brasil.
  • E) a criação do Ministério da Indústria e Comércio, ocupado por Rui Barbosa.
FAZER COMENTÁRIO

A alternativa correta é a letra C.

O desencadear da Primeira Guerra Mundial (1914-1918) foi um fator que impulsionou a industrialização no Brasil, pois dificultou a importação de produtos manufaturados da Europa, estimulando a produção nacional.

As outras alternativas estão incorretas, pois:

  • A) A política de valorização do café, definida pelo Convênio de Taubaté em 1906, visava garantir os preços e o mercado externo para o principal produto de exportação brasileiro na época. Essa política beneficiava os cafeicultores, mas não favorecia a industrialização.
  • B) A política protecionista, que consistia em aumentar as tarifas alfandegárias sobre os produtos importados, foi adotada em 1844, com a Tarifa Alves Branco, e não na Primeira República. Essa política favoreceu o surgimento das primeiras indústrias no Brasil, mas não impediu o estabelecimento de empresas estrangeiras no país.
  • D) A “Comissão Verificadora” foi um órgão criado em 1901, durante o governo de Campos Sales, para fiscalizar as contas públicas e as dívidas externas do Brasil. Essa comissão estava vinculada ao Funding Loan, um empréstimo concedido pelos credores internacionais ao Brasil em troca de medidas de ajuste fiscal. Essa comissão não tinha relação direta com a industrialização ou com a entrada de manufaturas no Brasil.
  • E) A criação do Ministério da Indústria e Comércio ocorreu em 1909, durante o governo de Nilo Peçanha, e foi ocupado por Rui Barbosa até 1910. Esse ministério tinha como objetivo incentivar o desenvolvimento industrial e comercial do país, mas não teve um impacto significativo na industrialização brasileira.
Continua após a publicidade..

8) (Fuvest) A política do café, durante a Primeira República,

  • A) chegou ao auge do protecionismo com o Convênio de Taubaté passando depois a reger-se pelas leis do mercado.
  • B) procurou atender aos interesses dos cafeicultores através de constantes medidas de proteção ao produto.
  • C) pode ser equiparada à de outras produções agrícolas, todas elas amparadas por Planos de Defesa.
  • D) atendeu exclusivamente aos interesses dos grandes grupos internacionais, através dos Planos de Defesa.
  • E) foi dirigida pelo governo do Estado de São Paulo, enquanto o poder federal mantinha uma atitude distante e neutra.
FAZER COMENTÁRIO

A alternativa correta é a letra (B)

A política do café, durante a Primeira República, foi um período em que os estados de São Paulo e Minas Gerais dominaram a cena política nacional, alternando-se na presidência do país. Essa política ficou conhecida como Política do Café com Leite, pois se referia aos principais produtos desses estados.

A alternativa correta é a letra B, pois ela expressa que a política do café procurou atender aos interesses dos cafeicultores através de constantes medidas de proteção ao produto. Essas medidas incluíam a compra de excedentes, o estímulo à queima de estoques, o financiamento da expansão das lavouras e a valorização cambial.

As outras alternativas estão incorretas porque:

  • A letra A afirma que a política do café chegou ao auge do protecionismo com o Convênio de Taubaté, mas isso não é verdade. O Convênio de Taubaté foi um acordo entre os estados produtores de café para garantir um preço mínimo ao produto, mas ele não foi cumprido integralmente e enfrentou resistências de outros setores.
  • A letra C diz que a política do café pode ser equiparada à de outras produções agrícolas, mas isso também é falso. A política do café foi privilegiada em relação às demais atividades econômicas, pois o café era o principal produto de exportação do Brasil e gerava grande riqueza para as oligarquias que controlavam o poder.
  • A letra D afirma que a política do café atendeu exclusivamente aos interesses dos grandes grupos internacionais, mas isso é uma simplificação. A política do café beneficiou os cafeicultores nacionais, mas também dependia dos mercados externos e das relações com os países compradores. Além disso, a política do café não foi isenta de conflitos internos entre os próprios produtores.
  • A letra E diz que a política do café foi dirigida pelo governo do Estado de São Paulo, mas isso ignora o papel de Minas Gerais na aliança que sustentou essa política. Além disso, o poder federal não mantinha uma atitude distante e neutra, mas sim participava ativamente da defesa dos interesses dos cafeicultores através da Política dos Governadores.

9) (Fuvest) O desenvolvimento da cafeicultura no Brasil durante a República Velha (1889-1930) criou condições para a deflagração de um processo de industrialização na região Sudeste porque

  • A) a maior parte dos lucros provenientes da cafeicultura ficava nas mãos dos produtores nacionais, e era investida em atividades industriais.
  • B) os governos estaduais contraíam empréstimos no exterior para o financiamento da produção de café, mas investiam parte desses recursos nas indústrias de base.
  • C) os bancos brasileiros passaram a desenvolver programas de financiamento da indústria com o lucro obtido na comercialização do café que financiavam.
  • D) a exportação do café gerava superávits que o governo federal, através de incentivos fiscais, transferia do setor agrícola para o industrial.
  • E) a expansão econômica provocada pelo café contribuiu para a formação do mercado interno, e nos períodos de superprodução parte da mão-de-obra era transferida para a indústria.
FAZER COMENTÁRIO

A resposta correta é a alternativa E.

A cafeicultura foi o principal produto de exportação do Brasil na República Velha, e gerou uma grande riqueza para os fazendeiros e comerciantes do café. Essa riqueza permitiu o desenvolvimento de um mercado interno de consumo, que demandava produtos industriais, como tecidos, alimentos, máquinas, etc. Além disso, nos períodos de crise do café, quando havia superprodução e queda dos preços, muitos trabalhadores rurais migravam para as cidades em busca de emprego nas fábricas. Assim, a cafeicultura criou as condições para a industrialização do Sudeste brasileiro, principalmente em São Paulo e no Rio de Janeiro.

As outras alternativas estão incorretas porque:

  • A) A maior parte dos lucros do café era enviada para o exterior, para pagar os empréstimos contraídos pelos fazendeiros e pelo governo. Além disso, muitos produtores preferiam investir em terras e na ampliação da produção cafeeira do que em atividades industriais.
  • B) Os governos estaduais também dependiam dos empréstimos externos para financiar a produção e a infraestrutura do café, como estradas de ferro e portos. Esses empréstimos eram pagos com as receitas das exportações do café, e não sobravam recursos para investir nas indústrias de base.
  • C) Os bancos brasileiros também estavam ligados ao setor cafeeiro, e financiavam a produção e a comercialização do café. Eles não tinham interesse em financiar a indústria, que era considerada um negócio arriscado e pouco lucrativo.
  • D) A exportação do café não gerava superávits, mas sim déficits na balança comercial brasileira, pois o país importava mais do que exportava. O governo federal não transferia recursos do setor agrícola para o industrial, mas sim protegia os interesses dos cafeicultores, através da política de valorização do café.
Continua após a publicidade..

10) (Fuvest) O período de 1900 a 1930, identificado no processo histórico brasileiro como República Velha, teve por traço marcante:

  • A) o fortalecimento da burguesia mercantil, que se utilizou do Estado como instrumento coordenador do desenvolvimento.
  • B) a abertura para o capital estrangeiro, principal alavanca do rápido desenvolvimento da região amazônica.
  • C) a modificação da composição social dos grandes centros urbanos, com a transferência de mão-de-obra do Centro-Sul para áreas do Nordeste.
  • D) o pleno enquadramento do Brasil às exigências do capitalismo inglês, ao qual o país se mantinha cada vez mais atrelado.
  • E) o predomínio das oligarquias dos grandes Estados, que procuravam assegurar a supremacia do setor agrário-exportador.
FAZER COMENTÁRIO

A resposta correta é a alternativa E.

A República Velha foi um período da história do Brasil que se caracterizou pelo domínio político das oligarquias dos estados de São Paulo e Minas Gerais, que controlavam a produção e a exportação de café. Essa política ficou conhecida como política do café com leite. Os demais estados tinham pouca influência no cenário nacional e dependiam dos favores dos governantes paulistas e mineiros. A República Velha também foi marcada por diversas revoltas populares, como a Guerra de Canudos, a Revolta da Vacina, a Revolta da Chibata e a Coluna Prestes. Essas revoltas expressavam o descontentamento de vários setores da sociedade com a situação social, econômica e política do país.

1 2